domingo, 17 de abril de 2011

Os fantasmas da praia - Sobre meninos e outras esquinas...


A penumbra distante que camufla a noite,
As palavras discretas que dissipam no vento,
Entre o mar tenebroso e as esquinas frias,
O faz de conta já não acontece.
Carros e luzes que encobrem os medos,
Sangue sugas sedentos atrás de desejo,
Satisfação efêmera de um eterno porvir,
Bocas abertas para parcos beijos.
Promessas e sussurros encharcados de álcool,
Cigarros apáticos piscando por entre os dedos,
Gritos abafados e alguns olhares de espanto,
Corpos disformes se exibindo pelos cantos.
Bizarro cenário de um pitoresco retrato,
Encenação pálida de um prazer inventado.

"Quem não sabe amar, fica esperando alguém que caiba no seu sonho,
como varizes que vão aumentando, como insetos em volta da lâmpada..."

Beijo pra quem é de beijo.
Abraço pra quem é de abraço.

Roberto Ney Araújo.

3 comentários:

  1. Opa! Obrigada!!
    È sempre bom vir aqui!

    ResponderExcluir
  2. Hugo obrigado... fico feliz que tenha gostado...

    Ana Paula, seja sempre bem vinda. Pode entrar sem bater...

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Espero que tenha tido uma boa leitura. Volte sempre... abraços!