domingo, 16 de agosto de 2009

Sobre o amor e outras guerras


Seus olhares me desmontam,
Queria ter dito, ter feito,
Mas teus ventos arrastam minhas palavras,
Admiro tua coragem,
Amo tua destreza,
Mas odeio tuas horas tolas,
Teus monólogos sem delicadeza,
Me perco na imensidão das tuas idéias,
Me desmancho diante de tua fortaleza,
Mas naufrago nas tuas fortes correntezas,
E me afogo em minhas lágrimas de incertezas,
Ès meu estandarte, minha búlssola biruta,
És meu chocolate, minha inconstante dúvida,
Tuas respostas me decifram como um manual,
Tuas perguntas me devoram como uma esfinge,
Muitos quilômetros e um labirinto
Nos separam,
E nos perdemos um do outro o tempo todo,
Nosso sangue se derrama gota a gota,
Nossa boca vai secando pouco a pouco.
Mas nosso sonho se mantém aceso,
E é nessa chama que aquecemos nosso corpo...

Ainda vou aprender a dizer que te amo.
Por enquanto, as ondas vão apagando minhs pegadas
Que acompanham os longos passos
Na tua sinuosa estrada.

Essa é uma homenagem a alguém que eu amo. A alguém que sabe do meu incomensurável amor. A alguém que me dá medo e ternura, lucidez e loucura, paradigmas e distância.
Alguém cujo sangue se mistura em minhas veias. Alguém como eu. Com defeitos e virtudes. Com fraquezas e glórias. Alguém que me fez sofrer algumas vezes, mas que, acima de tudo, me faz seguir sempre de cabeça erguida.

12 comentários:

  1. Ao começar a ler, pensei.... "Que grande amor!"
    Ao ler a dedicatória, entendi que realmente o amor é grande e isso é que faz a vida bela de ser vivida.

    ResponderExcluir
  2. Lindíssima homenagem... você escreveu que vai aprender a falar te amo... mas já aprendeu !!! Disse, em cada linha...

    Lindo demais...

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Sil obrigado pela visita e por agora fazer parte desse meu cantinho...

    Solange, gosto muito de compartilhar meus sentimentos... acho que o amor foi feito para dançar ao sabor dos ventos... mesmo que de forma torta ou, como digo, às avessas, ele deve ser sempre exlatado.

    E fico feliz que vocês tenham captado todo o amor que eu depositei nessas palavras...
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Olá, desculpe pelo sumiço, muita correria por aqui, mas amei este texto sábia, muito diferente de outros textos que já vi dedicado aos pais (já que aqui percebi pela dedicatória que é seu pai ou sua mãe)...beijos tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  5. dire je t'aime mon amour.
    fiquei emocionado com seu jeito de escrever.

    ResponderExcluir
  6. Roberto, o problema não é aprender a falar "eu te amo", e sim ter coragem de falar. A vezes é muito difícil.
    Abração

    ResponderExcluir
  7. volte sempre que quiser
    mi casa es tu casa

    ResponderExcluir
  8. Oh que homenagem tao linda...sabe as vezes dizer amo-te é mt dificil porque essa propria palavra tem um peso tao enorme que o facto de pensarmos nela doi...por isso compreendo a tua falta de coragen para dize-lo.

    Beijao e dsclp a invasao

    ResponderExcluir
  9. Denso e terno ao mesmo tempo. Muito bom.

    ResponderExcluir
  10. Paixão verdendo em cada palavra! Lindo!
    LU MARIA

    ResponderExcluir
  11. adoreiiiii tudo por aqui...muito bom gosto...vou esatr sempre por aqui querido..pra ver as novis

    ResponderExcluir
  12. Também vejo como homenagem aos pais...

    Fique com Deus, menino Roberto Ney.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Espero que tenha tido uma boa leitura. Volte sempre... abraços!