quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Gota


O meu amor é incerto,
Perdido, secreto,
É um grão no deserto,
Disperso,
Imerso na imensidão de um verso,
Discreto,
É o avesso do avesso,
É perverso,
Feiticeiro do inverso,
Imenso,
Corajoso inverno,
Incenso,
Ameno, sereno, denso.
É uma gota partindo do leito,
Viajando dia, noite, madrugada,
Corajosa, que do alto da cascata
Pula e chega ,mansa e calma
No meu peito.

P.S.: Desculpem a demora em atualizar o Blog... cheguei em Portugal há poucos dias e ainda estava colocando as coisas em ordem... agora irei atualizar o Blog diretamente daqui... espero que o clima europeu me traga muitas inspirações.

Beijo pra quem é de beijo.
Abraço pra quem é de abraço.

8 comentários:

  1. O meu amor não é incerto,
    o tempo que lhe foi dado que é!

    ResponderExcluir
  2. Poesia bonita, mas como foi a tua viagem?

    Qual poesa fez por lá?

    Fique com Deus, menino Roberto Ney.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Que bom...que esta de volta...Virei sua fã viu,bjo...:)...

    ResponderExcluir
  4. Não há dúvidas de que na terra de poetas como Camões, Pessoa e Florbela, sua inspiração irá triplicar. Felicidades!

    ResponderExcluir
  5. nada como uma boa mudança!

    tô de volta.
    bj grande, menina fe*

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela poesia...

    Elas sempre levantam meu humor!!

    ;)

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Espero que tenha tido uma boa leitura. Volte sempre... abraços!